O que é fitoterapia.

A Fitoterapia é a prática médica mais antiga. A palavra vem do grego phyton, planta ou vegetal, e therapeia,  que é tratamento. Portanto, é o estudo das propriedades das plantas e seu uso no tratamento de doenças.

Seu uso remonta aos primórdios da civilização e há relatos de seu uso em todos os povos e localizações. Existe o uso popular, preservado nas mais diversas culturas, bem como o termo medicamento fitoterápico, no qual se trata de preparações elaboradas com técnicas farmacêuticas, podendo ser manipulada artesanalmente ou de maneira industrial.

A fitoterapia é uma fonte inesgotável de novos remédios, visto que muitos mecanismos de ação das plantas são desconhecidos. Os componentes químicos isolados de cada planta com propriedades curativas são denominados princípio ativo e podem ser usados isoladamente, ou em conjunto.

As plantas são utilizadas também na Homeopatia e neste caso, com a técnica de preparo própria da Homeopatia.

No senso comum plantas e alimentos podem ser considerados positivos ou negativos (nocivos). Entretanto, esta é uma visão muito simplista. Muitos alimentos e plantas podem ter componentes positivos e outros negativos, em proporções e mecanismos diferentes, e mais do que isto, o que depende da suscetibilidade individual de quem usa ou ingere. Ou seja, nossas reações individuais ou pessoais são próprias. Isto depende da interação entre a substância, no caso a planta, o preparo, o organismo da pessoa que ingere e sua bagagem genética, que será acionada de maneira diversa conforme a situação e a planta.

Mas como pode uma planta como o trigo ser nociva? Isto se deve a mecanismos da evolução, pois como todo ser vivo, o propósito de cada planta é perpetuar sua espécie. Deste modo, o trigo, que utilizamos, é a semente deste cereal moída. Dentro desta semente encontramos substâncias químicas que evoluíram para defendê-lo de insetos, fungos e outros predadores. Assim, tem lectinas que provocam reações imunológicas e dano em nossos intestinos, bem como inibidores das proteases que reduzem a absorção das proteínas em nosso intestino, outras substâncias quelam (roubam) nutrientes do bolo alimentar e se grudam em substâncias ativas do trigo e os levam consigo (iodo, vitamina d, ferro e outros). Sem falar na proteína glúten, já tão divulgada.

Além disto, a concentração de cada princípio ativo ou seu conjunto permite ações diferentes. Junte-se a isto a possibilidade de contaminação por pesticidas, metais ou fungos.

Aqui você compreenderá e terá conhecimento do poder medicinal das plantas, bem como seus usos e efeitos.

Embora constitua um corpo de prática específico, por ser muito utilizada na medicina funcional a inserimos nesta categoria. Quando buscar mais temas sobre fitoterapia encontrará em Medicina Funcional. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *